Arquivos da categoria: Depoimentos

Inovação na indústria do pinhão cozido

Novidade

Chega ao mercado o revolucionário aparelho bardosístico extreme, o descascador semi-automático de pinhão gostoso. Segundo especialistas do mercado, o produto tem tido uma grande aceitação dos clientes. O motivo principal deste sucesso de vendas, que já superou de longe a produção de parafusos da FIAT, Volkswagen e Philips juntas é, segundo especialistas, “Porque sim” os usuários nem conseguem questionar sua utilidade, é uma coisa impressionante de todos os pontos de vista.

Desenvolvimento da ideia

O produto foi concebido por um pensador viciado em pinhão que sofria muito com a demora para descascá-los com dentadas e também estava sofrendo de depressão. Segundo ele:

 Eu estava em um período pesado na vida, não sabia se casava ou se comprava uma bicicreta, aí quando a fome apertou e eu me debatia com a casca do pinhão e aí pensei “Viu, acho que vou resolver esses problemas de uma vez só”.  Como resultado, acabei reduzindo a fome no mundo por acelerar o processo de ingestão, gerei 3000 empregos diretos e milhões de indiretos na região, casei, comprei várias bicicletas, ajudei na construção de ciclovias e contribuí com a diminuição dos indices de depressão no Brasil, quem experimenta meu produto diz que apertar um pinhão cozinho com olhar esganiçado é muito gratificante, chega superar até os antigos plásticos bolha”

Descascador de pinhão top

Onde comprar?

Os interessados nesse produto, devem espalhar a informação para que alguém finalmente descubra onde se encontra esse produto e depois compartilhar com todos sem medo de ser feliz.

Repaginação do blog / Visual changes

Tchozinhos e tchozinhas, Dear Friends 

It’s been such a long time since I wanted to move the blog to a self hosted wordpress server, but you know that it takes quite some time in a cumbersome process. Eventually, voilá here it is. The new the layout has plenty of space for pictures arts and so on. Furthermore, the evolution in technical terms behind the scenes is great. Well, that’s it.  As soon as possible more and more news about Fraiburgo, a little lovely cold town at the heart of southern Brazil.

Greetings!

Esse final de semana foi bastante produtivo. Finalmente consegui colocar uma plataforma independente para o blog, agora o Lá no Frai tem um visual diferente, com mais espaço entre as coisas e também mais liberdade para algumas criações. Tecnicamente muita coisa mudou também, mas essa parte é meio “caiporinha” de explicar portanto isso é tudo. O sentimento predominante é o mesmo de quem muda de um apartamento para uma casa, dá mais trabalho cuidar da segurança, da manutenção e etc, mas por outro lado há muito mais liberdade. Como cidadão Fraiburguense agora me sinto livre para pintar a casa da cor que eu quiser pra diferenciar do vizinho, nem que pra isso “seje” necessário usar laranja metálico espelhado com verde fosforescente e tons de vermelho, azul e amarelo sol da tarde no fundo. O que me agoniava fortemente na plataforma antiga era: Não poder lidar com o layout, os espaços eram limitados, tinha que pagar o condomínio do site em dólar e o pior de tudo é que os tchô gringo lá ficavam colocando propagandas no meio dos nossos posts tchozinos aí era pra acaba! (Jaguaredo véio). Enfim, estamos de cara nova, talvez falte uma coisa aqui, outra ali, mas os móveis já estão aí e com o tempo a coisa se ajeita e depois tomado um chima com pinhão e bergamota pra celebrar a vida! 

 Saudações! 

 

Homenagem do Fraicebook no Facebook

Nunca podemos esquecer da primeira pagina no face que fala sobre nossa cidade,
Com ela surgiu varias outras, sempre dando idéias não só de informação, mas de utilidade publica e de tudo um pouco! Os Tchôs unidos jamais serão vencidos! Parabéns pela idéia – Lá no Frai!

Agradecimentos a turma do Fraicebook pela homenagem. Vamos encaminhá-la ao Tchô Quenorris que infelizmente tomou um raio na muringa enquanto trepava na antena da TIM no Bela Vista e agora está em observação no hospital de Videira e sem celular. 🙂

Como o Blog é produzido / How Lá no Frai is made.

Tchozinhos e tchozinhas do Brasil,

 

Tamo de vorta escrinhando mais sobre as coisaradinhas do Frai e com várias novidades (ptus… esse “Várias novidades” é muito clichê  – Favor desconsiderar, apesar de ser verdade).  Então, esse último mês foi um tempo bom pro Tchozinho largá mão do Lá no Frai, descansar um pouco e dar atenção para outros projetos, mais ou menos como num processo de desintoxicação mental.

Guys, back to Lá no Frai Project. I have rather been busy lately working on my professional life. Well, what I can tell about Fraiburgo this time? I have been out there sometime ago and noticed that I ended up working (mentally) way more then what I usually do here in Desterro. It is perhaps the reflex of changing contexts, however I found quite difficult to explain it to my friends or family who truly believe I am on vacation, holidays or whatever, which is note the case. All this Portuguese/Fraiburguese text below is an attempt too explain this and the dynamics of intellectual versus physical work and the chances that internet has affected this relations. Perhaps for being a countryside city it is natural that people get more attached to a physical activity to gain some sort of reputation but I am sure soon or later the differences will be come clear. Also, some people asked me how the blog is made. I reflected a bit and found a picture that can explain the overwhelming task of portraying my small and beloved home city, as a result, I hope more people in Fraiburgo start expressing they feelings and thoughts not only about the city about their own existence, we Brazilians are very bad at this.

Desde a última vez que estive em Fraiburgo, tive algumas impressões interessantes. Uma delas é que quando estou por lá, acabo trabalhando mentalmente muito mais do que em Desterro (vulgo Florianópolis), porém a galerinha de ambas as cidades, pensam que estou de férias ou só vadiando hehehe. Digo o seguinte, tenho dificuldades de expressar a diferença do trabalho intelectual, artístico e  filosófico em relação ao trabalho físico para construção reputacional. Ai vai uma visão tchozina sobre trabalhos criativos:

Continue lendo

Depoimento – Letícia Xavier

Tchozinhos e Tchozinhas,

Como vocês bem sabem, Fraiburgo é um lugar cheio de talentos escondidos, não como o caminhão do Lau Melo (claro), mas o fato é que o Lá no Frai tenta, na medida do possível, valorizá-los. Abaixo vai um depoimento bastante harmonioso da Letícia Xavier que da sua perspectiva do que é, o que foi e o que será o Frai. O tchozinho aqui pede desculpas a autora pelos 6 ou mais meses de espera na publicação, mas o volume de trabalho está grande e o texto também merecia uma tradução feita com tempo. Parabéns Letícia.

Minha terra, meu chão

Fraiburgo minha bela terra. Que a cada dia, presencio o movimento de cada folha e o avançar do tempo, que enriquece cada vez mais, a beleza que é natural. Vendo situações cotidianas, me imagino daqui a alguns bons anos, brincando com meus filhos, nas ruas lindas daqui. Talvez não fique aqui para sempre, provavelmente o futuro me destine para onde possa eu ter outras oportunidades, ou Deus me leve para outro caminho, porém, jamais me esquecerei de quão feliz fui aqui.

O nascer do sol, o cheiro da chuva, os natais abençoados, as páscoas enfeitadas com muito amor, que marcaram minha infância, levarei para todo o sempre, as boas risadas que dei, os ensinamentos, os nomes de cada professora que tive que me ensinaram a ler a partir da palavra ‘maçã’. Fraiburgo, onde quer que eu vá, levarei um pouco de ti comigo, crescerei com a vontade de que meus filhos e netos tenham a mesma infância que aqui, eu tive.

Com um clima bom, com uma diversidade de culturas, com várias atrações, e pontos turísticos curiosos, e muitas outras coisas que ainda irão ser descobertas, Fraiburgo se torna pra mim, a cidade perfeita. Sem muito trânsito, não muito grande, aquelas cenas de filme, onde a pessoa sai de casa, vai à padaria, e cumprimenta a todos que encontra na rua, é uma boa representação do que se tem aqui.

 Talvez pelo fato de crescer aqui, ter a sensação de que não vou conseguir a me adaptar a uma cidade maior, me faz sentir saudades desde já. O fato é que estando aqui, pisando neste chão, as pessoas não acham graça, não sentem falta. Mas depois que saem da tranqüilidade para entrar numa eterna turbulência, em cidades maiores, ai sim, fariam tudo para poder voltar.

Por que, vamos ser sinceros, Fraiburgo é linda sim, muito linda. Claro; assim como ninguém é perfeito, nossa cidade também tem problemas, mas nada que já não seja de rotina, que seja fácil de superar. Fraiburgo como uma bela terra, cria belas personalidades e assim, belas pessoas. Agradeço a Deus por cada dia aqui, por cada nascer do sol, por cada gota de chuva. Por cada fruto dado, por cada sorriso, por cada aprendizado.

Agradecimento

Agradeço cordialmente a pessoa ou as pessoas anônimas de bom coração que me enviaram essas lindas flores no dia 9… Acredito que não seja um costume dos tchôs de Fraiburgo recebê-las, mas como primeira experiência está aprovado. Imagino as flores como a representação mais simples e bonita de efemeridade e evanescência de nossas vidas… Muito obrigado mesmo! 

Depoimento Fraiburguense

Segue o depoimento da Tchozinha Monica Paniz, relembrando coisas do querido Frai.

Fraiburgo é a cidade onde estão minhas raizes, onde nasci e me criei, onde passei os melhores anos da minha vida. Cidade que deu oportunidade para o meu pai (Dirceu Romano Paniz in memorian) se tornar ” o grande homem” que sempre foi. Cidade que me traz muitas saudades…saudades da minha infância, da minha família, das festas juninas no Gonçalves Dias, da Invernada Artística, dos Rodeios e dos bailes gaúchos...aquilo sim era uma “balada” divertida rsrs!!!! Saudades do carnaval no Clube Fraiburguense, do Bloco Fuzuê, só de meninas, dos esquentas fazendo batida de vinho com leite condensado rs…ou dos esquentas dos Quati na frente da minha casa. Saudades de caminhar no lago, ou mesmo na rua onde você para para falar com todo mundo, sempre tem um conhecido tomando chimarrão…Jantinha das meninas, ou a tarde de pipoca doce com mate para colocar a fofoca em dia, dos inúmeros churrascos com amigos, pois tudo era motivo para um churrasquinho…Saudades das amizades verdadeiras, da cumplicidade e humildade das pessoas que moram em cidade pequena. Poderia passar horas aqui escrevendo do que tenho saudades, mas a maior de todas é o meu querido e amado Pai, porque se falando de Fraiburgo não tem como não lembrar dele, um eterno amante apaixonado pela cidade, quando ele estava aqui em Balneário Camburiú ele falava para todo mundo de boca cheia que aqui só morava quem era louco, porque a cidade igual a dele não existia, todos ficavam curiosos querendo saber onde era essa tal de Fraiburgo, a terra da maçã….rsrsrs. Ele só escapava quando era muito frio rsrs…desse friozinho também sinto falta, do fogo na lareira, do fogão a lenha. Enfim, são muitas as lembranças dessa cidade a qual sempre vou guardar no meu coração!!!!

Entrevista com o criador do fraicebook

Mark Tchozenberg comenta sobre Fraiburgo e o comportamento dos Brasileiros na sua rede social…

Reporter : Você recentemente fez duras críticas ao comportamento dos Brasileiros no fraicebook, você se arrepende da polêmica que causou?
MARK: De jeito nenhum, eu continuo achando que se deixarmos os Brasileiros soltos eles vão orkutizar, não só o fraicebooki, mas o mundo todo. Os Brasileiros estão usando nosso sistema como se estivessem dirigindo com 51 pontos na CNH, achando que podem sair atropelando os comentários de qualquer um a torto e direito. Aqui não é bem assim, nós criamos uma constituição no Fraicebook em 1988 onde cada usuário deve ser bloqueado da rede social por mau comportamento e tentativas de orkutização do espaço público.  Por isso não mudo meu pensamento sobre os Brasileiros.

Reporter: Mas você acha que há como mudar este comportamento tão típico do Brasil?

MARKI: Bom, veja bem… nem todos os Brasileiros são assim. É preciso considerar que tem muita gente honesta, engraçada e criativa que respeita as regras naquele país e que ainda fazem um excelente uso do Fraicebook. Um grande exemplo são os Tchô de Fraiburgo.

Reporter : Mark, o que você quer dizer com os “tchô de Fraiburgo”, o que é isso?

MARK: Ahh sim, desculpa. Esse é um termo novo até pra mim. Aprendi recentemente num dicionário de Inglês-Fraiburguês. Tchô se refere a um indivíduo (personagem) que vive na região da grande Fraiburgo em Santa Catarina – Brasil. Você que é Brasileiro deve conhecer essa cidade, não? Você é paulista por acaso? Fraiburgo é a terra da apple (maçã), do licor e da maçã do amor…dos dinossauros, do Tchô Quenorris, do caminhão enterrado, da Arnoldo Frey road.. do Michuim…da geada, do handebol, xadrez, volley, lago das araucárias, das cachoreiras escondidas, taquaroçu, butiá verdade…etc… não conhece mesmo?

Reporter : Infelizmente não conheço, mas lá no sul não é tudo gaúcho?

MARK: pois é, eu também achava que era, mas também, quem é que conhece o Brasil de verdade? Sorte que apareceu um blog bilíngue (português/inglês) dum tchó do Frai contando desse povo acolhedor de alma limpa, com uma cultura engraçada, meio própria… que não é nem gaúcha e nem mané (barriga verde). É interessante ver as coisas que eles compartilham no fraicebook muitas vezes. É esse tipo de comportamento antiorkutização que os Brasileiros deveriam ter no Fraicebook. Eles tem uma capacidade extraordinária de criar humor encima de qualquer coisa, possuem uma arquitetura própria, um dialeto nativo e expressões que só um tchô puro entende, um lago super massa no centro da cidade, cachoeiras nos arredores, gente bonita, o pôr do sol mais colorido do Brasil e principalmente estudantes desbravadores que se pinxam no mundo todo atrás de conhecimento, etc. É pra esse tipo de gente que nós do Fraicebook ainda mantemos esta rede funcionando no Brasil, mesmo apesar de todas as tentativas de orkutizacao dos brasileiros em geral. Pra mim Fraiburgo é umas das cidades mais bonitas do Brasil e a piazada lá e promissora…

Reporter: Mas você acha que Fraiburgo é mais bonita até do que São Paulo?
MARK: Você está de brincadeira, só pode! Comparar Fraiburgo com São Paulo, a cidade mais orkutizada do país é sacanagem…pelo jeitão dos Fraiburguenses na rede social eles vão tomar cuidado para, nas próximas eleições, não elegerem pessoas capazes orkutizar o lugarzinho deles. Isso é muito legal e seria bom se os demais Brasileiros copiassem essa ideia genial de não orkutização do mundo real. E você, vê se volta pro Brasil e vai conhecer melhor o teu país, nem que seja pelo orkut mesmo.