Lei nova e os tchô de São Joaquim

Atenção – Esse post é só pro os tchô que pagam imposto…

Antes de começar a pensar na rivalidade entre Fraiburgo e São Joaquim, já digo que não tem nada haver com isso. Vou falar de uma coisa muito mais importante, que é a força dos tchô na fiscalização da administração pública levando em consideração o exemplo dos tchô de São Joaquim.

Dia 10 de maio fui no IV seminário Catarinense sobre transparência pública que aconteceu lá no Hotel Renar. Neste evento vieram tchôs de Brasília, Florianópolis, São José, Brusque e cidades da região para compartilhar suas experiências em relação ao novo patamar de acesso a informação advindo da recente lei de acesso a informação número 12.527 de 18 de novembro de 2011 que entrou em vigor ontem dia 16 de maio de 2012. De forma bem resumida, essa lei vai contribuir com a sociedade Brasileira brutalmente, pois ela vai  permitir que todos tchôs do Brasil possam ficar de butuca na destinação do dinheiro público. Deu boa né? Atualmente a gente só sabe que o dinheiro sai, mas pra onde vai é um mistério medonho.

No caso de São Joaquim, apresentado no evento, eles realizaram uma campanha na cidade para reverter a aprovação do aumento do número de vereadores na cidade, algo que não aconteceu no Frai e nem na grande maioria das cidades Brasileiras. Lá eles não concordaram com a aprovação da lei principalmente por ter sido votada na surdina quando a piazada não poderia prestar muita atenção. Dai vem as perguntas: o que os tchô de lá tem que o Frai não tem? O que eles fizeram? Buscaram informação, ficaram junto  se movimentaram para protestar contra os argumentos dos vereadores.

Abaixo está uma conversa imaginária entre os vereadores e os tchozinhos São Joaquinenses… 

– Veja bem… Resposta:  Seje bobo…

– Viu, o tchô, mas veje bem…   Resposta: Não perciso te tira dai no soco, vote tirá no voto!

– A verdade é a seguinte, óie bem… Resposta: A verdade é a seguinte, óie bem você, se enchergue loco!!!

Resultado, a população votou pela redução do número de vereadores mesmo indo contra o ensejo de todos os vereadores e até da OAB. Parabéns para os Tchôs de São Joaquim por entenderem que o dinheiro público pode e deve ser melhor aplicado caso contrário, o pau pega.

Tá mas e dai tchô, o que isso tem haver com o Frai? Na visão do  lá no frai, a piazada vai pouco a pouco começar a se beneficiar dessa nova lei acesso a informação pública para ficar negaciando (olhar com foco absoluto) o destino do seu dinheiro o qual foi conseguido com muita peleia dos invernos do Frai e doados ao governo. Como resultado as coisas públicas começarão a ser entendidas em Fraiburguês como “coisas de tudo nóis”  e não mais como “coisas de ninguém”.

Viu, mas esse negócio que eles tão coisiando vai ser fácil da gente aprendê?

No início não muito, mas logo logo os processos fiscalização vão ficam mais acessíveis ao público e com o uso de sistemas de informação, cruzamento de dados e redes sociais, em breve os tchozinhos e tchozinhas vão ficar tão mitidos que vai te piazada trepada até no topo do chaminé do Frai (virtual) só de butuca no que acontece na cidade inteira. Fraiburgo e o Brasil vão ganhar com isso de forma proporcionalmente tão grande e indireta como o que já perdemos nos últimas décadas. Já pesou usar toda a habilidade de coerção social (forcejamento) e vigilância do qual as pessoas, principalmente em cidades pequenas, usam umas contra as outras só que para controlar o setor público? Pois é tchô, são leis assim que farão o futuro do Brasil finalmente espelhar sua grandeza 🙂

Mais informações sobre a lei http://www.cgu.gov.br/acessoainformacaogov/



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *