Arquivo da tag: Tchô Quenorris

O que significa tchô e tchozinho?

Olá tchozinhos(as),

Fazem alguns anos que o termo tchozinho e tchozinha foi criado e no artigo de hoje vou descrever sua origem e significados da maneira mais didática possível.

Definições

Tchô(a) – Adjetivo ou Substantivo da língua portuguesa moderna usada como vocábulo na região central de Santa Catarina com exceção de Curitibanos, lá eles falam “o Teu”. São muito estranhos!

Origem

A origem do vocábulo está alicerçada nos pilares da cultura tchozina, cultura essa que é específica da região do contestado e que tem o sotaque vinculado ao interior do Paraná na área do dialeto oficial “Dialeto Sulista” (Mais informações sobre este dialeto neste link oficial) .

O Dialeto sulista e tchozino se difere do sotaque gaúcho de diversas formas e é tradicionalmente confundido por pessoas de outras regiões do país e até pelo litoral de Santa Catarina.

Uma das diferenças mais marcantes é a pronúncia da letra R de forma mais turbinada e aspirada no centro da garganta e sem a vibração final da língua contra os dentes. Algo similar ao “R” do Interiorrr de São Paulo. Mais informações neste artigo “Mapa dialetal de Santa Catarina

A palavra tchô, de Tchô Quenorris! é uma derivação da palavra espanhola “Che” de “Che Guevara”. Outras derivações ou palavras irmãs são: o “Tché” do dialeto gaúcho e “tchó” com o “O” aberto do dialeto do extremo oeste de Santa Catarina conhecido como “le gringonês Italianus”.

Exemplos didáticos

O termo tchô, apresenta uma desenvoltura semântica mais livre que o permite ser usado tanto como adjetivo, indicando um tipo de pessoa desconhecida ou como um substantivo. Mas atenção, não é oficialmente permitido usar o plural, soa estranho e e estrangeiro fazer isso.

Vamos estudar alguns exemplos

Diferentemente do Tché que é apenas adjetivo e não permite a substantivação como no exemplo:

“Filho venha aqui, tem dois tchês que querem falar contigo”

Tchô permite ser utilizada como adjetivo e substantivo.

Tchô como adjetivo:

Ex. 1:

“Era um cara bem tchô mesmo, alí de Caçador, vivia de moto pra lá e pra cá sem capacete ali em Rio Das Antas e as vezes se bandiava até Videira, era meio loco mas gente boa até, as vezes jogava bola lá na arte ca piazada tudo”

Ex. 2:

“Esse é de São Paulo, aquele lá é do Rio de Janeiro, aqueles quatro lá no final são tudo tchô, um de Fraiburgo de Videira e um de Joaçaba. O outro lá de costa e blusa vermeia só trovando não sei direito da onde que é, mas é tchô tamém.”

Tchô como substantivo:

O substantivo tchô se refere normalmente a tipos de pessoas da qual sua identidade não é conhecida ou não importa muito saber, é uma forma genérica de associar uma ação à alguém que vem do desconhecido já que “Cara”, “Rapaz”, “Homem”, “Senhor”, não alcançam, de sobremaneira, a profundeza do significado que o termo carrega. O coletivo de tchôs é “tchozedo”. Outro motivo importante para a escolha da palavra tchô no dia a dia é a facilidade cognitiva para montar as frases, pois é, sem dúvida, mais fácil e prazeroso pronunciar Tchô do que investigar o indivíduo e tal.

Ex.1:

“Filho venha aqui ligero, tem dois tchô que querem falá contigo, apure ligero!”

 

Ex. 2:

“Só um tchô não da conta de empurrá o fuque pra chegá no posto, é muito empenho! Tem que forcejá muito!”

Ex. 3:

“O tchô! mas pare!  Largue mão dessa tchoa, vai lá e pegue o carro de volta e não dexe ela te batê mais de novo. Zulivre!”

Ex. 4:

“Mas quem é o tchÔ que ganhô na megasena de novo só com os número dos calibre de árma? Mas é um largo”  Obs. Largo é sortudo no dialeto.

Tchozinho(a)

A palavra Tchozinho tanto no masculino como no feminino e sem a existência de plural do pode ser livremente usada em expressões como:

“Os tchozinho do Frai se pincharam na kombi do véio e se bandiáram tudo”

A expressão foi criada aqui no blog no início de 2011 como uma criação associada ao carinhoso “manezinho da ilha” que se refere aos nativos da cultura açoriana no litoral de Santa Catarina. Não havia um paralelo na cultura tchozina. Com o tempo o termo se consolidou nas conversas da família Quenorris. Conversa entre Tchô e Tchozinho Quenorris sobre termos linguísticos

Tchô no Futebol

O tchô é um jogador de futebol, no vídeo a seguir está uma sequência dos gols mais bonitos do tchô. Só prometam que não vão rir néh tchozedo?

Tchô nos Estados Unidos

Na região norte da América há um tipo de chocolate bastante famoso chamado Tchô no vídeo a seguir está uma explicação em inglês da produção de Tchôs.

Bom tchozinhos e tchozinhas, está tudo explicado. Qualquer dúvida escrevam e não deixem de compartilhar essa riqueza local com os amigos. Ah, no natal não esqueça de compra uma caixa de tchô pros amigos(as).

Saudações tchozinas!

7 fatos conhecidos por quem se criou no Lá no Frai

Para quem é do interior, e claro, das proximidades da Fraiburgo central, há uma grande chance de que os itens abaixo façam parte de suas cognições e sinapses mentais mais profundas! Sabe porquê? Porque “Lá no Frai é assim”

#01. Leite de caixinha? Zulivre tchô, leite quentinho direto da teta da vaca.

leite

#02. “Vai lá cata uns milho verde pra mãe”.

tumblr_n91hgrhHl71s2wio8o1_500

#03. Que tar um mergulho no milho

milho

#04. Pra nadar no açude do vizinho, só passando pela cerca elétrica tchô!

dog_pees_on_electric_fence-3400

#05. “A mãe disse pra não fazê ‘locuragem’ no açude”

locurage

#06. O pai e a mãe se bandiaram pro centro “hora de dar uma vortiada” de trator.

trator

#07. Outras coisas constantemente aprovadas pelo Tchô Quenorris.

chuck-norris-approves

O dia em que o Tchô Quenorris se acadelou até!

Tchozeditonitos(as),

Não muito tempo atrás, nosso ídolo, herói, Tchô Quenorris estava se bandiando de moto pela mítica e reformada estrada que liga Fraiburgo a Rio das Antas. E aí o que aconteceu? Bom, a câmera no capacete do tchô conta melhor essa estória, a qual representa bem o conhecido verbo reflexivo do Fraiburguês moderno “Se acadelar-se” . Dzulivre home numa dessa é de se acadelá tudo mesmo.

“Acordei o tchozinho tão cedo hoje que quando pulo da cama parecia um passarinho que caiu do ninho. Daqui a poco ele termina de fazer os tema de inglês, esse é meu piá véio”

Mensagem enviada por Tchô Quenorris via Ipad (Morro do Bugio) 27/04/2013

Conversa na família Quenorris (27/04/2013)

– Paié, que bom você de novo ca gente! Tenho um monte de pergunta pra te perguntar pra você. Posso pidi?

– Pida tchozinho, seu sarninha…

– Tá bão, porque aqui em Fraiburgo não tem ainda nenhuma lanchonete co nome “Fraiburguer”?

– Tchozinho, hora de ir pra cama. Você percisa sussega o facho por hoje, já ta balãoziando!

“Estive pensando e finalmente decidi! Vou fazer uma “Tatoo” nas costas! Bem grandona! Ela vai ter a chaminé do centro e a da Trombini, o Lago das Araucárias, um Butierinho, o Hotel Renar, o Catelinho, a Bicicleta do Mauro Loco, a Casa da Cultura, dois dragões míticos em forma de maçã, a Patrola, o globo da pracinha do globo e dentro um casal de tchozinhos de chapel. Só to pensando agora em quem vou fazer ela…

Sms enviado as 20:00 via BlackBerry® do telhada do ginásio da Arte X de Novembro.

Mensagem do Tchô Quenorris de Fraiburgo…

Apple 6: tchozino style!

Desterro – 15 de junho de 2012 – Apple confirma produção de Iphone em Fraiburgo! Obs. Seus aplicativos atendem vários idiomas mas o padrão de fábrica é o Fraiburguês ABNT – Para os não Fraiburgófanos, é necessário ajuda de um tchô de Fraiburgo para ajustar as configurações e ai estará pronto para operar.

Autor do design Andrei de Mello!

Aula 28 – Verbo “Acarcar” desmonstração de uso

Tá ai mais um verbo de peso da comunicação interpessoal Fraiburguense, o verbo “acarcar”, o qual é passado de geração após geração ao longo dos séculos!

Valeu pessoal, espero que tenham gostado da aula, um abraço abraço acarcado para todos! Se curtir acarque o botão “curtir na direita.