Arquivos da categoria: Publicação

Fraiburgo and Amsterdam

Amsterdam é um dos centros comerciais mais importantes do mundo, apesar de ser minúscula, influenciou o mundo moderno graças a visão Holandesa das viagens, do comércio internacional e fluência do povo em diversos idiomas além do seu próprio idioma, o Holandês.  

Amsterdam is one of the most important or influential centers of the world, although it is tiny, it influenced the modern world thanks to the Dutch view of travel, international trade and fluency of the people in several languages ​​beyond their own language, Dutch.

Fraiburgo, por sua vez, é uma cidade recém nascida na história (menos de 60 anos) e mesmo assim o é berço da maçã no Brasil graças ao espírito empreendedor dos fundadores que investiram na cidade e traduziram conhecimentos estrangeiros escritos em Alemão, Francês, Inglês (possivelmente árabe) para para incorporar técnicas(tecnologias) de manejo e plantio da maçã na região na década de 60, conhecimentos que até então eram desconhecidos no continente.

Fraiburgo, in turn, is a city born in history (less than 60 years old) and yet it is the cradle of the apple in Brazil thanks to the entrepreneurial spirit of the founders who invested in the city and translated foreign knowledge written in German, French, English (possibly Arab) to incorporate techniques (technologies) of management and planting of the apple in the region in the 60’s, knowledge that until then were unknown in the continent.

Está é uma pequena homenagem às duas cidades e culturas que fazem parte do “coraçã” (isso sem o Ó no final) do projeto lanofrai! 

This is a small tribute to the two cities and cultures that are part of the “apple heart” of lanofrai project!

Fraiburgo está mais bonita que Videira?

Tchozinhos(as), 

Estão comentando bem forte por aí que Fraiburgo está bem mais bonita do que a bela Videira esse ano, mesmo eles tendo Havan e tudo lá. Mas carcule se não! Abaixo estão algumas fotos que estão viralizando pela região.

O jeito o pessoal vai precisar ir até Fraiburgo e conferir como está ficando a cidade com Chafariz no lago e etc. De repente até a criançada vai alucinar Lá no Frai!

Um abraço para todos os amigos da nossa linda região! Queremos bem a todos! 

Casa do papai noel – Créditos Prefeitura Municipal Tchozina

Casa do papai noel – Créditos Prefeitura Municipal Tchozina

Casa do papai noel – Créditos Prefeitura Municipal Tchozina

Casa do papai noel – Créditos Prefeitura Municipal Tchozina

Transformação digital no Frai

Tchozinhos(as),

Dado a crise econômica que atinge Fraiburgo e o Brasil como um todo, recomendo que as empresas/empreendedores de Fraiburgo tenham seu cadastro no google para terem seus produtos/serviços mais visíveis neste espaço digital.

O cadastro pode ser feito neste link – Google meu negócio

Tanto o cadastro como a construção do site é gratuito e muito simples. Ao termino é enviado uma carta do google pelo correio com o código numérico que vai garantir a autenticidade da localização.

Dicas extras:

  • Escolham fotos bonitas do trabalho, a primeira impressão é sempre importante.
  • Revisem bem os textos, mande aos amigos e peça sugestões
  • Após publicadas, peça aos clientes que eles façam uma avaliação do produto ou serviço neste site. 
  • Acompanhem as estatísticas das visitas e tome ações de marketing quando possível.

Boa sorte a todos e bons negócios, a cidade precisa!

Praça Maria Frey

A praça Maria Frey, construída em 1994 e hoje é um dos principais pontos turísticos de Fraiburgo, não só pelo termómetro (um dos maiores das Américas), mas também pela localização no coração da cidade ao lado do Lago das Araucárias ao pé do morro do Hotel Renar e do Castelinho.

Essa foto é um espetáculo de história, natureza e da arte de artífices locais. O aspecto dos pinheiros Araucárias existentes somente nesta região do mundo faz de Fraiburgo um lugar cada vez mais único no mundo.  Joni Hoppen

praça maria Frey Fraiburgo

Fonte: Projeto Nosso Amado Frai FRAIBURGO/SC Pra quem curte nossa linda e amada cidade… De todos os ângulos —usem #nossoamadofrai —Não pertencemos ao setor Público.

 

 

Aquelas cidades antigas

Sabe aquelas cidades antigas, com centenas de anos de história, guerras, mudanças de idiomas ao longo dos anos, novos povos e etc?. Fraiburgo é um dessas só que com menos de 100 anos, bem menos de 100 anos.

Nesta foto abaixo é a praça Maria Frey criada em 1994.

Do Instagram – NossoAmadoFrai

Nesta quando a linda jovem esta se aproximando dos 46 anos no dia 27 de dezembro de 2007.

Por Joni Hoppen

O mundo pode ser grande e diverso, mas Lá no Frai é assim!

Quem promove o Frai Lá no Frai?

Tchozinhos e tchozinhas,

É verdade, mais pessoas estão ajudando a divulgar as coisas topinhas do Frai. Vejam só, o Instagram do “Nosso Amado Frai” para conferir o trabalho deles. Selecionei apenas duas das fotos!

Lá no Frai, sempre apoia essas iniciativas! Vamos em frente porque não está e nunca estará morto quem peleia tchô! Nem que caia um par de butiá dos borso!

Boa semana!

Meu amado Frai

Meu amado Frai

O que significa tchô e tchozinho?

Olá tchozinhos(as),

Fazem alguns anos que o termo tchozinho e tchozinha foi criado e no artigo de hoje vou descrever sua origem e significados da maneira mais didática possível.

Definições

Tchô(a) – Adjetivo ou Substantivo da língua portuguesa moderna usada como vocábulo na região central de Santa Catarina com exceção de Curitibanos, lá eles falam “o Teu”. São muito estranhos!

Origem

A origem do vocábulo está alicerçada nos pilares da cultura tchozina, cultura essa que é específica da região do contestado e que tem o sotaque vinculado ao interior do Paraná na área do dialeto oficial “Dialeto Sulista” (Mais informações sobre este dialeto neste link oficial) .

O Dialeto sulista e tchozino se difere do sotaque gaúcho de diversas formas e é tradicionalmente confundido por pessoas de outras regiões do país e até pelo litoral de Santa Catarina.

Uma das diferenças mais marcantes é a pronúncia da letra R de forma mais turbinada e aspirada no centro da garganta e sem a vibração final da língua contra os dentes. Algo similar ao “R” do Interiorrr de São Paulo. Mais informações neste artigo “Mapa dialetal de Santa Catarina

A palavra tchô, de Tchô Quenorris! é uma derivação da palavra espanhola “Che” de “Che Guevara”. Outras derivações ou palavras irmãs são: o “Tché” do dialeto gaúcho e “tchó” com o “O” aberto do dialeto do extremo oeste de Santa Catarina conhecido como “le gringonês Italianus”.

Exemplos didáticos

O termo tchô, apresenta uma desenvoltura semântica mais livre que o permite ser usado tanto como adjetivo, indicando um tipo de pessoa desconhecida ou como um substantivo. Mas atenção, não é oficialmente permitido usar o plural, soa estranho e e estrangeiro fazer isso.

Vamos estudar alguns exemplos

Diferentemente do Tché que é apenas adjetivo e não permite a substantivação como no exemplo:

“Filho venha aqui, tem dois tchês que querem falar contigo”

Tchô permite ser utilizada como adjetivo e substantivo.

Tchô como adjetivo:

Ex. 1:

“Era um cara bem tchô mesmo, alí de Caçador, vivia de moto pra lá e pra cá sem capacete ali em Rio Das Antas e as vezes se bandiava até Videira, era meio loco mas gente boa até, as vezes jogava bola lá na arte ca piazada tudo”

Ex. 2:

“Esse é de São Paulo, aquele lá é do Rio de Janeiro, aqueles quatro lá no final são tudo tchô, um de Fraiburgo de Videira e um de Joaçaba. O outro lá de costa e blusa vermeia só trovando não sei direito da onde que é, mas é tchô tamém.”

Tchô como substantivo:

O substantivo tchô se refere normalmente a tipos de pessoas da qual sua identidade não é conhecida ou não importa muito saber, é uma forma genérica de associar uma ação à alguém que vem do desconhecido já que “Cara”, “Rapaz”, “Homem”, “Senhor”, não alcançam, de sobremaneira, a profundeza do significado que o termo carrega. O coletivo de tchôs é “tchozedo”. Outro motivo importante para a escolha da palavra tchô no dia a dia é a facilidade cognitiva para montar as frases, pois é, sem dúvida, mais fácil e prazeroso pronunciar Tchô do que investigar o indivíduo e tal.

Ex.1:

“Filho venha aqui ligero, tem dois tchô que querem falá contigo, apure ligero!”

 

Ex. 2:

“Só um tchô não da conta de empurrá o fuque pra chegá no posto, é muito empenho! Tem que forcejá muito!”

Ex. 3:

“O tchô! mas pare!  Largue mão dessa tchoa, vai lá e pegue o carro de volta e não dexe ela te batê mais de novo. Zulivre!”

Ex. 4:

“Mas quem é o tchÔ que ganhô na megasena de novo só com os número dos calibre de árma? Mas é um largo”  Obs. Largo é sortudo no dialeto.

Tchozinho(a)

A palavra Tchozinho tanto no masculino como no feminino e sem a existência de plural do pode ser livremente usada em expressões como:

“Os tchozinho do Frai se pincharam na kombi do véio e se bandiáram tudo”

A expressão foi criada aqui no blog no início de 2011 como uma criação associada ao carinhoso “manezinho da ilha” que se refere aos nativos da cultura açoriana no litoral de Santa Catarina. Não havia um paralelo na cultura tchozina. Com o tempo o termo se consolidou nas conversas da família Quenorris. Conversa entre Tchô e Tchozinho Quenorris sobre termos linguísticos

Tchô no Futebol

O tchô é um jogador de futebol, no vídeo a seguir está uma sequência dos gols mais bonitos do tchô. Só prometam que não vão rir néh tchozedo?

Tchô nos Estados Unidos

Na região norte da América há um tipo de chocolate bastante famoso chamado Tchô no vídeo a seguir está uma explicação em inglês da produção de Tchôs.

Bom tchozinhos e tchozinhas, está tudo explicado. Qualquer dúvida escrevam e não deixem de compartilhar essa riqueza local com os amigos. Ah, no natal não esqueça de compra uma caixa de tchô pros amigos(as).

Saudações tchozinas!