Arquivo mensais:outubro 2012

Tente outra Vez / Try again

Pra bater o estilo, altura da chaminé do Frai, não é fácil :). Tem que ir tentiando tchô. Agradecimentos para Mariani Oliveira que ajudou na concepção e que também não parou de rir.

The challenge is, how to make something higher than the Fraiburguese chimney! The French failed in 15 meters 🙂 

 

 

 

Patrimônio arquitetônico Tchozino / Tchozino’s architetonic heritage

Para quem lembra do post “Análise arquitetônica comparativa”, seguem duas versões adaptadas de Caçador, uma feita pelo Anônimo Caçador tchô e outra por Nelvio Junior (materializador). Realmente não sabia que tinha chaminé por aquelas bandas, será que é irmã da do Frai? Fazendo uma pesquisa internet vi que as informações das duas torres são muito desencontradas, por exemplo alguns dizem que a do Frai foi feita em 1940 outros 39 e ainda no site da prefeitura 1950. Ainda, qual é altura dela? Número de tijolos (dá pra mensurar sim), capacidade de queima, tempo de construção, quanto custou a reforma e etc.

Essas coisas são só o começo de uma  reflexão sobre o desenvolvimento turístico das cidades e como poderíamos gerar valor monetário a partir de nossos símbolos? Na última vez que estive no Frai, fui na lojinha de artesanatos ao lado do lago (muito bonitinha por sinal) e encontrei centenas maçãs e recordações de Fraiburgo, mas não encontrei nenhuma chaminé, nem ao menos um chaveirinho de souvenir. Resultado, entrei no modo Tchozinho desacorçoado :(. Fraiburgo não é só maçã, é arquitetura, o lago, história, dinos e o que mais as próximas gerações quiserem que ela seja. Pow piazada, tem tanto tchô que daria um dedo pra ir pra Paris tirar uma foto na torre Eifel e depois postar no Facebook, então como nós podemos fazer para que os outros venham até nossas cidades, valorizem nossas coisas e divulguem a nossa história, o nosso jeito e etc? 

A flor do Lago / The flowers lake

Lago das Araucárias – Fraiburgo – SC – Brasil

Melhor foto do concurso promovido por Walter Neves em 2010 – Autora Kely

Curtiu tchô? compartilhe!

The Araucária’s lake flower. Fraiburgo – Santa Catarina – Brasil
By Gabriel Santos

Image

Empreededorismo tchozino – Fraiburguese entreprenourship

Tchozinhos e tchozinhas,

“Seje” lá o que vocês vão querer fazer da vida, sempre haverá um momento em que as decisões precisam ser tomadas (independente de quanto você se prepare para isso). Para quem está embarcando no mundo da geração de riquezas (empreendedorismo), essa figura pode explicar sua existência, principalmente se você raciocina em Fraiburguês. 

Dear all,

To be or not to be an entrepreneur? That is the question! That is the decision depicted on the picture as “jump or not jump” using the Fraiburguese dialect.  What is important to notice is that, to become the owner or something in Brazil you have to pay countless types of taxes which sometimes makes you wonder why should you ever start something. Anyways, I am on this path and hopefully thing will turn out to be great!

Autor do desenho desconhecido – Drawing author unknown

Como o Blog é produzido / How Lá no Frai is made.

Tchozinhos e tchozinhas do Brasil,

 

Tamo de vorta escrinhando mais sobre as coisaradinhas do Frai e com várias novidades (ptus… esse “Várias novidades” é muito clichê  – Favor desconsiderar, apesar de ser verdade).  Então, esse último mês foi um tempo bom pro Tchozinho largá mão do Lá no Frai, descansar um pouco e dar atenção para outros projetos, mais ou menos como num processo de desintoxicação mental.

Guys, back to Lá no Frai Project. I have rather been busy lately working on my professional life. Well, what I can tell about Fraiburgo this time? I have been out there sometime ago and noticed that I ended up working (mentally) way more then what I usually do here in Desterro. It is perhaps the reflex of changing contexts, however I found quite difficult to explain it to my friends or family who truly believe I am on vacation, holidays or whatever, which is note the case. All this Portuguese/Fraiburguese text below is an attempt too explain this and the dynamics of intellectual versus physical work and the chances that internet has affected this relations. Perhaps for being a countryside city it is natural that people get more attached to a physical activity to gain some sort of reputation but I am sure soon or later the differences will be come clear. Also, some people asked me how the blog is made. I reflected a bit and found a picture that can explain the overwhelming task of portraying my small and beloved home city, as a result, I hope more people in Fraiburgo start expressing they feelings and thoughts not only about the city about their own existence, we Brazilians are very bad at this.

Desde a última vez que estive em Fraiburgo, tive algumas impressões interessantes. Uma delas é que quando estou por lá, acabo trabalhando mentalmente muito mais do que em Desterro (vulgo Florianópolis), porém a galerinha de ambas as cidades, pensam que estou de férias ou só vadiando hehehe. Digo o seguinte, tenho dificuldades de expressar a diferença do trabalho intelectual, artístico e  filosófico em relação ao trabalho físico para construção reputacional. Ai vai uma visão tchozina sobre trabalhos criativos:

Continue lendo