Cachoeira Tombo do Tchô – Videira – SC – Lá no Frai expedition

Depois de uma longa pernada, vários tombos, trilha perigosa, chuva e quase a perda da câmera chegamos a essa pérola no meio oeste de Santa Catarina, a qual é praticamente desconhecida, ainda mais se comparada a atores da globo e jogadores de futebol. O objetivo desse post é, assim como a grande maioria das publicações do blog, valorizar as riquezas escondidas na região aqui denominada tchozina por pura licença poética em homenagem aos tchôs e tchoas da região. Como estas quedas não tem um nome específico resolvemos chamá-la de tombo do tchô como forma de alertar a todos os visitantes sobre essa fascinante e perigosa obra da natureza. Ao final apresentamos a localização da cachoeira com o máximo de detalhes possíveis. Click nas imagens para aumentar o tamanho da visualização.

Antes de descrever qualquer coisa, aqui vão as notas de atenção.

– A cachoeira é tão fascinante como perigosa pois é onde todo o rio do peixe mergulha. É necessário muito cuidado, mesmo com experiência de alguns anos de trilhas em várias partes do mundo, esse é um dos lugares mais perigosos que já visitei principalmente a parte de baixo da cachoeira.
– Não subestime a força da água, a irregularidade das pedras pode ser fatal
– Use tênis com garras e sempre tenha as duas mão livres para caminhar sobre as pedras algumas são grandes
– Como existem muitos tipos, formatos e cores de pedras não existe um padrão de como se deslocar entre elas a não ser ir com calma, analisando cada passo e sempre com o apoio das mãos.
– Não há sinal de celular, vá em grupo.
– Não jogue lixo nesse paraíso natural e se puder retire o que encontrar, isso não é para a sua segurança é para a segurança da vida do ecossistema.
– Verifique as condições do clima, procure ir de 3 a 4 dias desde a última chuva. O rio do peixe assim como todos os demais da região ficam muito escuros com a chuva. Quanto mais água maior o risco.

Abaixo está a primeira foto foi encontrada na internet, a qual despertou a pesquisa pelo local, foram realizadas aproximadamente 3 viagens à Videira sem encontrar alguém que soubesse desse ponto, provando que a desinformação regional é grande. Ser tchô e não desfrutar da região tchozina é o prejuízo humano incalculável, uma espécie de pecado. Me parece que quanto mais civilizados nos tornamos, menos gratuita a natureza se torna. Esse comportamento econômico nunca mudará, nunca…

w_h_1316_rio_do_peixe_Videira_560

Por – Gerard Moss

Cachoeira tombo do tcho

Esta é uma vista da trilha inferior, decidimos não cruzar até o outro lado da margem porque as dimensões e quantidade de água podem enganar o tchô.

DSC_01942

Vista da força das águas e a impossibilidade de enquadrar todas as cachoeiras na mesma imagem, é muita informação aos olhos, para quem presencia esse local é muita informação para todos os sentidos.

Pedra que treme

Vista da parte superior após a barragem, neste ponto as pedras vibram com a força da água

Barragem

Localização / Como chegar

Acesse o site maps.google.com e insira as seguintes coordenadas -26.96017,-51.156561 depois no botão como chegar indique o local onde você está ele te dirá o caminho. Segue uma visualização de um possível trajeto feito pelo google usando a opção como chegar, também é possível (para quem tem disposição) ir a pé pelos trilhos do trem vindo do centro de Videira. No nosso caso, fomos de carro do centro até a comunidade chamada Linha Baroncelo a qual não sei como explicar o trajeto, mas se você conseguir chegar até lá poderá pedir informações. No nosso caso chegamos até uma casa onde a senhora foi super gentil e nos deixou passar a pé pela propriedade dela até chegar aos trilhos do trem e depois até o despraiado.

Mapa do Rio

Montagem da imagem do google maps

Porque essas coisas da região são tão precisas tchô? Da uma olhada nas informações a baixo: 

Quem gasta mais água

Distribuiçào das reservas (1)

Conclusões

Apesar dos riscos, é uma aventura que vale a pena. Aproveitem pra conhecer tudo o que puderem pois a tendência natural do homem é não se preocupar em perder aquilo que desconhece. Se gostou da publicação, repasse a informação aos seus amigos, se não gostou repasse aos seus inimigos. Ajude a proteger essas maravilhas que ainda temos. Um grande abraço a todos aqueles que curtem o trabalho do projeto Lá no Frai. Um ótimo 2014 para todos.

13 ideias sobre “Cachoeira Tombo do Tchô – Videira – SC – Lá no Frai expedition

  1. GEMA MARIA CORDEIRO

    Muito lindo!!! Mas o homem é mesmo um ser estranho.Não gosta do que tem em casa, não valoriza o que tem perto e se encanta com o que está longe…

    Responder
  2. Pingback: As 3 melhores cachoeiras para banho - Lá no Frai

  3. Carlito

    Parabéns pelo post, na maioria das cidades é complicado localizar os recantos naturais, salvo aqueles de amplo conhecimento geral. Em muitos municípios de SC, apesar terem as chamadas rotas das cachoeiras, se você não é da cidade vc não encontra, pois não há sinalização placas etc…

    Responder
    1. Olir E. Turco

      Sim, Renan, é a cachoeira da usina velha. Por gostar de trilhas e aventuras, tenho o privilégio de conhece-la, já a explorei por diversas trilhas, realmente é um lugar fascinante. Uma pena, (ou talvez não) não se divulgado e explorada.
      Não sei, caro Marcone, se existe algum grupo de trilhas (caminhadas) por aqui, mas, quem sabe não podemos formar o um?

      Responder
  4. Alex genero

    Eu sempre fui nadar no verão nesta cachoeira. Quando ela está com menos água muita gente vai aí nadar e pula de cima das pedras. É muito bom. Também fiz minhas fotos de casamento sobre essas pedras…

    Parabéns pela reportagem

    Responder
  5. Fábio Jacques de Souza Santos

    Conheço muito bem estes locais,teria sido bem mais fácil ir pela linha XV de novembro até a usina de carro…
    Lugar muito lindo e a usina só é antiga,mais existe até Hj e funciona toda informatizada…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *