Arquivo mensais:Abril 2015

Casa da cultura, chaminezita e árvores do Frai em alta resolução.

Uma vez um amigo de São Paulo, falou que o problema de Fraiburgo é que tinha muito mato. Já que ele vinha de um lugar muito mais evoluído, parecia que ele tinha razão! Bom, hoje vendo a questão da falta de água por lá acho que é melhor ter mato e ser menos evoluído mesmo tchô! Evolução é uma coisa que não da pra se definir assim. Embora a prefeitura tenha dado pouca atenção as árvores, devemos continuar sarniando para que estas permaneçam firmes, fortes e verdes! A imagem abaixo está em alta resolução para que possa ser melhor apreciada pelos amantes das coisas do Frai, vale reparar na diferença de intensidade e formato das folhas de cada árvore e a harmonia criada.

Joni Hoppen Pertec zoon

Clique na imagem para aumentar a visualização

Inovação na indústria do pinhão cozido

Novidade

Chega ao mercado o revolucionário aparelho bardosístico extreme, o descascador semi-automático de pinhão gostoso. Segundo especialistas do mercado, o produto tem tido uma grande aceitação dos clientes. O motivo principal deste sucesso de vendas, que já superou de longe a produção de parafusos da FIAT, Volkswagen e Philips juntas é, segundo especialistas, “Porque sim” os usuários nem conseguem questionar sua utilidade, é uma coisa impressionante de todos os pontos de vista.

Desenvolvimento da ideia

O produto foi concebido por um pensador viciado em pinhão que sofria muito com a demora para descascá-los com dentadas e também estava sofrendo de depressão. Segundo ele:

 Eu estava em um período pesado na vida, não sabia se casava ou se comprava uma bicicreta, aí quando a fome apertou e eu me debatia com a casca do pinhão e aí pensei “Viu, acho que vou resolver esses problemas de uma vez só”.  Como resultado, acabei reduzindo a fome no mundo por acelerar o processo de ingestão, gerei 3000 empregos diretos e milhões de indiretos na região, casei, comprei várias bicicletas, ajudei na construção de ciclovias e contribuí com a diminuição dos indices de depressão no Brasil, quem experimenta meu produto diz que apertar um pinhão cozinho com olhar esganiçado é muito gratificante, chega superar até os antigos plásticos bolha”

Descascador de pinhão top

Onde comprar?

Os interessados nesse produto, devem espalhar a informação para que alguém finalmente descubra onde se encontra esse produto e depois compartilhar com todos sem medo de ser feliz.

Estudos antropológicos da cultura não tchozina

Segundo estudos antropológicos internacionais (publicados na Scientific American – Quando a gente associa a informação aos EUA parece que fica mais importante), as pessoas que não tiveram contato com o pinhão nos intervalos da amamentação e/ou a mãe não consumiu pinhão durante a gestação, tendem a não gostar deste tipo de alimento na fase adulta, chegando a considerar o pinhão cozido como “cera de vela”. A boa notícia do estudo, segundo o especialista, é que assim sobra mais pinhão para as pessoas nativas de Fraiburgo e região.

Surpresas aleatórias do Frai

Tchozinho(s), uma revolução está acontecendo, separem todas suas fotos históricas de Fraiburgo e compartilhem no grupo que foi lançado chamado museu virtual de Fraiburgo – Cada nova foto uma surpresa de coisas na nossa vida, da nossa cidade e da nossa cultura. Muitas fotos de valor histórico já estão sendo compartilhadas e consumidas por todos, uma super iniciativa do Tchô Júlio Modena, mega apoiado pelo Lá no Frai. Segue o link do grupo do facebookinho. Sejam bem vindos ao Fraiburgo – Fotos e Fatos, o museu digital colaborativo tchozino! https://www.facebook.com/groups/1642951382592433/