Arquivo da tag: Dialeto

Quiz Tchozino

Quiz cultural tchozino. Valendo um abraço e um pedaço de servete seco:

A palavra “Cacaredo” é utilizada para expressar qual sentimento na região do contestado?

A) Vontade comer pinhão na chapa
B) Desejo profundo de se referir a alguém com índole, caráter, moral e ética comprovadamente inferiores a sua.
C) Medo e frio
D) Revolta braba.

Interpretação das expressões tchozinas

A arte de interpretar o sentimento humano atrelado a cada expressão tchozina é um trabalho de grande sensibilidade e dedicação. O resultado é a criação de valores compartilhados somente entre nós. Outros povos podem até achar parecido, mas parecido nunca é igual. Por esse motivo, todos os leitores aqui do “lánofrai” tem o direito vitalício de sempre carregar butiá nos borso para que estes sartem em momentos espantosos, também de poder se pinchárim na água quando tiver calor, de dizer “pióoorrr que não” ao invés de infelizmente ou “A de não!!!” ao invés de “isso é possível”. É uma função, mas antes de terminar ainda fica a dúvida, porque lá no Frai se usa o gerúndio no diminutivo para indicar ação em andamento de modo faceiro como por exemplo: Caminhadinho, estudandinho, trabalhandinho e etc? Enquanto refletimos chamem a piazada ligero que o pinhão tá servido!

Utilização da expressão “Infelizmente”

Em Fraiburgo não se diz “Infelizmente”, se diz “Pióoor que não”. Vejamos um exemplo prático e real:

O telefone toca e alguém atende.

– Gostaria de falar com o João, ele se encontra?

Resposta Tchozina:

– Pior que não! Ele foi ali no banco ligerinho daqui já tá por aqui, quem sabe você da uma ligadinha depois?

Expressões linguísticas prontas para usar

Expressões linguísticas prontas para usar Lá no Frai, é só escolher a mais adequada e falar alto, todas já foram testadas em laboratório!

Sai azar, crendios, home do céu, dzulivre, vávává, só bombiando,mas que bichera, meia boca, pregá a mão no ovido, trupicá, fora da casinha, bocaberta, fuja loco, mais é um bardoso véio, já gosta de se alugá, mata a pau, se lascou, viu o seu bocó óie aqui já, pechada, animar de teta, ma daí sim né tchô, proziaa, kako véio, facero o miseráve, devereda, catrefada, só rafoage, sarna, piá, piá pançudo, reinento(a), vai pro laço, imundicia, pego bem na verada, mas carcule se não?, mas pense!, judiá, inticá, espichá as perna, debulhá, fuja loco, tava um intrevero lá, jaguaredo, decerto que sim, pior que não, tchô beiçudo, tá tchuco?, no muque, perau, diacho, guaipéca, jaguarinha, mas credo tchô, mas largue mão, mas pare home, se pinxemo, tunda de laço, mata a pau, estrupício, me furo ozóio, tabornaço na oreia.

Causo de Páscoa Tchozino – Lá no Frai

Causo tchozino – Pergunta aos alunos em uma escola de Fraiburgo.

A professora diz:
Piazada, viu, nesse próximo final de semana temos o feriado da páscoa e o “coeio” vai trazer pra vocês algo muito especial que representa a fertilidade, o renascimento, a vida, a alegria de viver. Vocês sabem o que é?

Tchozinho Quenorris – retruca lá do fundo.

Professora, o jaguarinha do coeio vai trazer pinhão?

ENEM Tchozino

Questão 01

Responda corretamente de acordo com as melhores práticas do dialeto Fraiborguitonês clássico. Na sentença, algo chamado de “PIJUCA” quer dizer:

a) Algo bão que nossa.
b) Algo bão que nossa, só que gera grandes “percas de tempo”
c) Algo meia boca, nem tão bão nem tão jaguara;
d) Algo de baixa qualidade.
e) Nenhuma das alternativas

Especificidades linguísticas – Verbo “Trovar”

Em uma análise mais profunda das expressões linguísticas brasileiras, vemos uma interessante e inevitável mutação de sentido devido à necessidade de evolução dos termos quando estes se aproximam geograficamente de Fraiburgo. Por exemplo, se você disser para a alguém Lá no Frai a seguinte frase:

– Eles estão flertando.

A resposta pode ser:

– Viu, o que você disse? Fler o que?  

Agora, se você utilizar o termo “Trovando” adicionando o diminutivo (espécie de turbina linguística para expressar continuidade), aí você atinge diretamente o cortex tchozino do receptor. Resultado, a comunicação se dá perfeitamente e as sensações são compartilhadas entre os falantes imediatamente. Vejam a figura abaixo:

Só trovandinho

Assinale a alternativa correta. A expressão “Bicho feio” em língua tchozina significa:

(A) Animal de qualquer espécie, porém de má aparência;
(B) Lugar perigoso, tão perigoso que se fala a palavra “crêndios” durante qualquer explicação deste lugar;
(C) Algo muito difícil de lidar, expressão geralmente acompanhada por “Home do céu!  ou Muié do céu!”
(D) Situação de solução impossível, extremamente perigosa da qual os envolvidos não tem saída;
(E) Todas as alternativas corretas porque explicar essa expressão é realmente “Bixo Feio” tchô!

Conversa de Páscoa na Família Quenorris

Paiê, esse negócio de Páscoa tá muito comercial né!  É só gentarada falando de coelho e ovo na rua, no facebook, no twitter. Tá tudo errado isso, não acha?

Tchô Quenorris responde calmamente

Bom tchozinho, tem duas coisas erradas nesse movimento todo. Primeiro o certo é “Os ovo” e não “Os ovos”. Segundo, falam “Coelho” mas o certo é “Cueio” e o plural é “Os cueio”. Mas é assim mesmo, o sentido da páscoa vai mudando ao longo dos anos.